Desmatamento zero na Amazônia: como e por que chegar lá


Desmatamento zero como e por que chegar la-1Greenpeace, Imaflora, Imazon, Instituto Centro de Vida, Instituto Socioambiental, IPAM, The Nature Conservancy, WWF. 2017.

Há várias maneiras de responder por que o Brasil precisa atingir o desmatamento zero (DZ) urgentemente. A resposta mais simples é: porque esta é a coisa certa a fazer. Não há mais justificativas para a destruição da vegetação nativa do país. Continuar a devastação resulta em desequilíbrio do clima global e nacional, afeta a biodiversidade e os recursos hídricos, além de comprometer a saúde e o bem-estar da população. Além disso, desmatar não ajuda a competitividade da agropecuária; ao contrário, coloca-a em risco. Extinguir de vez o desmatamento ilegal e legal é, por fim, um imperativo ético – uma dívida que a atual geração tem consigo própria e com as próximas.

A Amazônia brasileira tem sido, paradoxalmente, o ícone do controle e do descontrole do desmatamento tropical. É lá que estão as experiências que demonstram que a destruição ambiental pode ser vencida, mas é também lá que essa destruição segue em velocidade assustadora e explode a qualquer distração, vitimando a sociedade amazônica, o país e o mundo.

Este documento pretende indicar os possíveis caminhos para zerar o desmatamento na região, com benefícios ambientais, econômicos e sociais para o país. Preparado pelo Grupo de Trabalho pelo Desmatamento Zero – composto por especialistas das organizações Greenpeace Brasil, ICV, Imaflora, Imazon, IPAM, Instituto Socioambiental, WWF Brasil e TNC Brasil –, tem como lastro a mais atual literatura científica sobre florestas, clima e agropecuária. Nas seções que se seguem, são expostas as principais razões pelas quais o DZ é, mais do que possível, uma necessidade inadiável.

 

Baixe aqui a publicação.

Baixe aqui o sumário executivo.