Reducing emissions from deforestation at municipal level: a case study of Paragominas, Eastern Brazilian Amazon


tecnico15Brito, B., Souza Jr, C., & Amaral, P. 2010. Reducing emissions from deforestation at municipal level: a case study of Paragominas, Eastern Brazilian Amazon. (A. Nassar, C. Fontes, F. Lyrio, J. P. Gomes, J. Dean, L. de A. Filho, M. Barrett, et al., Eds.) Everything is connected. Climate and biodiversity in a fragile world, 29-31. Brasil: Defra, British Embassy Brasília.

No dia 28 de outubro, o Ministério de Meio Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais do Reino Unido lançou a publicação EVERYTHING IS CONNECTED: CLIMATE CHANGE AND BIODIVERSITY IN A FRAGILE WORLD que aborda as sinergias entre as agendas de mudanças climáticas e biodiversidade. Ela tenta responder as seguintes questões: Como um clima estável e uma biosfera produtiva podem ser conjuntamente assegurados? Por que esta é uma oportunidade em direção ao crescimento econômico verde? Como uma parceria mais próxima entre os acordos ambientais multilaterais, em especial a Convenção sobre Diversidade Biológica das Nações Unidas e a Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, pode ajudar a cumprir seus respectivos objetivos?

A publicação conta com o apoio do Ministério do Meio Ambiente do Brasil. Ela contém um prefácio conjunto das Ministras do Meio Ambiente do Reino Unido, Caroline Spelman, e do Brasil, Izabella Teixeira. Nesse prefácio, elas argumentam que ecossistemas saudáveis e um clima estável são essenciais para o bem-estar e o desenvolvimento humano, mas que vêm sendo cronicamente ameaçados. Defendem que seja reavaliada a forma como se usam, valorizam e protegem os recursos naturais. Por fim, chamam a atenção para o fato de que, agindo nas interligações entre as agendas de mudança do clima e biodiversidade, será possível salvaguardar nosso precioso capital natural, ao mesmo tempo em que promovem-se ações de adaptação e mitigação à ameaça da mudança do clima.

Admitem, também, que o objetivo de prevenir a perda de biodiversidade no planeta em 2010 não foi atingido, apesar de progressos significativos em algumas áreas, incluindo na Amazônia Brasileira. Argumentam que oito anos após 193 países terem se comprometido com esse objetivo, a comunidade internacional ainda precisa refletir o quanto valoriza os frágeis sistemas que dão suporte à vida.

A publicação traz oito artigos inéditos de especialistas em suas respectivas áreas, mostrando a experiência do Brasil, um dos países mega-diversos mais importantes no debate sobre os desafios da mudança do clima e da proteção da biodiversidade. O Brasil abriga a maior extensão do mundo de floresta virgem – uma área aproximadamente do mesmo tamanho que a União Européia. Ela contribui para regular o clima global, sequestrando milhões de toneladas de carbono todo ano. Além disso, ela abriga um quinto da água do mundo e, talvez, um terço de sua biodiversidade.

Pelo Imazon, Brenda Brito, Carlos Souza Jr e Paulo Amaral abordam no capítulo Reducing emissions from deforestation at municipal level: a case study of Paragominas, Eastern Brazilian Amazon a recente redução de desmatamento no município de Paragominas, incluído em 2007 na lista de municípios críticos de desmatamento na Amazônia pelo Ministério do Meio Ambiente. O artigo explica os elementos essenciais que contribuíram para que Paragominas fosse o primeiro município a sair dessa lista em março de 2010 e sugere a replicação dessas ações para outros municípios com situação crítica. Ao final, os autores indicam os desafios que ainda precisam ser superados para que municípios como Paragominas avancem para uma economia verde e de baixo carbono.

Baixe aqui o arquivo