Em reportagem exibida no Jornal Nacional (Rede Globo), foram abordados os dados do sistema de monitoramento do Imazon, que registrou 529 quilômetros quadrados de desmatamento na Amazônia em abril. A área destruída é maior que a da cidade de Porto Alegre – um aumento de 171% em relação a abril de 2019.

A derrubada ocorreu principalmente nos estados do Pará, (32%) em Mato Grosso (26%), Rondônia (19%) e no Amazonas (18%). A maior parte do desmatamento foi em áreas privadas ou em estágio de posse. O corte da floresta também atingiu unidades de conservação, assentamentos e terras indígenas.

Segundo o Imazon, muitas derrubadas podem estar sendo realizadas por supostos proprietários que fizeram o Cadastro Ambiental Rural. O CAR é um documento autodeclaratório com informações sobre área e tipo de atividade rural. Mas não é um título de terra e precisa de validação dos órgãos ambientais e de regularização fundiária.

Para assistir a reportagem completa, clique aqui. 

APÓS DIGITAR O TEXTO, PRESSIONE ENTER PARA COMEÇAR A PESQUISAR