Big-leaf mahogany (Swietenia macrophylla) seedling survival and growth across a topographic gradient in southeast Pará, Brazil

Big-leaf mahogany (Swietenia macrophylla) seedling survival and growth across a topographic gradient in southeast Pará, Brazil

artigocie4Grogan, J., Ashton, M., & Galvao, J. 2003. Big-leaf mahogany (Swietenia macrophylla) seedling survival and growth across a topographic gradient in southeast Pará, Brazil.

Forest Ecology and Management, 186(1-3), 311-326.

Populações adultas de mogno ( Swietenia macrophylla ) ocorrem em agregações ao longo dos riachos sazonais em florestas perenes de transição no sudeste do Pará, Brasil. Para testar se as taxas variáveis de sobrevivência e crescimento das mudas ao longo da topografia podem ser a base desse padrão de distribuição observado, plantamos mudas crescidas em viveiros no sub-bosque da floresta e em clareiras artificiais em terrenos que estão nos extremos de um gradiente de inclinação onde o mogno ocorre (solos hidromórficos em terrenos baixos) e não ocorre (solos distróficos em terrenos altos). Nos dois extremos desse gradiente, a sobrevivência e o crescimento das mudas, durante 42 meses, foram significativamente maiores nas clareiras do que no sub-bosque da floresta adjacente, ainda que a taxa média de sobrevivência no sub-bosque da floresta tenha excedido a taxa de sobrevivência nas clareiras durante o primeiro período de crescimento. O crescimento médio das mudas nas clareiras no terreno baixo foi significativamente maior do que nas clareiras no terreno alto. Nas condições de um viveiro (bom aguamento, 70% de máxima luz solar), o crescimento das mudas plantadas nos solos provenientes do terreno baixo foi significativamente major do que o crescimento das mudas plantadas nos solos provenientes do terreno alto, indicando que as diferenças nas condições de nutrientes no solo, particularmente Ca e Mg, podem ser responsáveis pelos resultados do experimento com o plantio de mudas. A adição dos nutrientes Ca + Mg acelerou as taxas de crescimento das mudas de viveiro plantadas no terreno alto em relação às taxas de crescimento das mudas plantadas no terreno baixo, anulando as diferenças significativas entre as parcelas controle. A diferenciação no solo encontrada ao longo do relevo topográfico com conseqüentes gradientes de condições do solo complementa os regimes de distúrbio no dossel (níveis de iluminação aumentados) em condicionar padrões de distribuição de árvores adultas e estruturas de populações. Isto significa que o grau de sucesso do recrutamento sob práticas de manejo de regeneração natural e artificial pode variar como uma função tanto do tamanho da clareira como da fertilidade do solo.