Padrões e causas do desmatamento nas Áreas Protegidas de Rondônia.

Padrões e causas do desmatamento nas Áreas Protegidas de Rondônia.

artigocie39Veríssimo, A., & Ribeiro, B. 2007. Padrões e causas do desmatamento nas Áreas Protegidas de Rondônia. Revista Natureza e Conservação, 05, 15-26.

A criação de áreas protegidas é uma das estratégias mais efetivas e recomendadas para preservar a integridade e a biodiversidade da floresta Amazônica. No Estado de Rondônia, onde o desmatamento já atingiu 32% do território, as áreas protegidas representam a última barreira contra a degradação ambiental. Entretanto, o desmatamento tem avançado até mesmo nessas áreas.

Neste artigo, identificamos e quantificamos o desmatamento nas áreas protegidas de Rondônia, e avaliamos as causas dessa degradação para as Unidade de Conservação Estaduais. Em 2004, aproximadamente 6,3% da área total protegida de Rondônia já havia sido desmatados. Proporcionalmente à sua área total, as Unidades de Conservação Estaduais foram as mais desmatadas enquanto as Unidades de Conservação Federais e as Terras Indígenas foram menos afetadas. Há duas principais causas para o maior desmatamento nas Unidades de Conservação Estaduais: a falta de ação por parte do Governo do Estado para a proteção dessas áreas e a proximidade dessas Unidades dos pólos madeireiros e dos centros de pecuária. Para deter o avanço do desmatamento em Áreas protegidas é necessário que haja maior presença do Governo e um sistema de fiscalização mais eficiente e transparente.

Palavras-chave: Amazônia, unidades de conservação, terras indígenas, Rondônia, desmatamento, pressão humana.

O artigo está disponível no website da Fundação O Boticário ( http://www.fundacaoboticario.org.br/ ), responsável pela publicação. Os interessados também podem solicitar uma cópia através do e-mail [email protected] .