Boletim Transparência Florestal Estado do Pará (Março de 2008)

Boletim Transparência Florestal Estado do Pará (Março de 2008)

para_novembroSouza Jr., C., Veríssimo, A., Costa, A., Salomão, R., & Brandão Jr., A. (2008). Boletim Transparência Florestal Estado do Pará (Março de 2008) (p. 5). Belém: Imazon.

No Pará, o desmatamento detectado pelo Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) atingiu 65 quilômetros quadrados nos três primeiros meses de 2008 (janeiro a março). Esse valor foi mais do que o dobro da área desmatada no mesmo período de 2007 quando totalizou 28 quilômetros quadrados.

No acumulado do calendário anual de desmatamento (agosto 2007 a março de 2008), a área total desflorestada atingiu 1.362 quilômetros quadrados.Isso representa um aumento de 76% em relação ao mesmo período do ano anterior (agosto de 2006 a março de 2007) quando o desmatamento somou 775 quilômetros quadrados.

De janeiro a março de 2008, a maioria (93%) do desmatamento ocorreu em áreas privadas ou sob diversos estágios de posse. A perda de floresta nos Assentamentos de Reforma Agrária representou de 7%. Não foram detectados desmatamentos nas Áreas Protegidas (Terras Indígenas e Unidades de Conservação) nesse período.

Os municípios que mais desmataram nesse período foram Ulianopólis (28% do total) seguido de Paragominas (20%) e Dom Eliseu (10%). Todos localizados na Belém-Brasília e incluídos na lista dos municípios críticos do Ministério do Meio Ambiente.

Por se tratar de período chuvoso, a proporção de nuvens sobre o território do Pará: 68% (janeiro), 69% (fevereiro) e 72% (março). Isso significa que os valores obtidos para o desmatamento nesses três meses estão subestimados.

Esta e outras edições do Boletim Transparência Florestal, além de mapas e gráficos utilizando o dados do SAD, podem ser acessados de maneira interativa no ImazonGeo ( www.imazongeo.org.br ).

Baixe aqui o arquivo