Unidades de Conservação Estaduais do Pará na Região da Calha Norte do Rio Amazonas (2ª edição)

Unidades de Conservação Estaduais do Pará na Região da Calha Norte do Rio Amazonas (2ª edição)

unidades_de_conservacao (1)Santos, D., & Barreto, G. 2012. Unidades de Conservação Estaduais do Pará na Região da Calha Norte do Rio Amazonas 2a Edição (2nd ed., p. 26). Belém: Imazon.

Unidades de Conservação Estaduais do Pará na Região da Calha Norte do Rio Amazonas (2ª edição)
Em dezembro de 2006, o Governo do Estado do Pará criou cinco Unidades de Conservação (UC) na Calha Norte do rio Amazonas, uma região de alta prioridade para conservação da biodiversidade e com grande parte do seu território ainda coberta com florestas primárias. Essa iniciativa foi parte de um plano maior do Governo do Pará para promover o uso sustentável e conservação das florestas no Estado.

As UCs criadas foram as Florestas Estaduais (Flota) do Paru, do Trombetas e de Faro, a Estação Ecológica (Esec) do Grão Pará e a Reserva Biológica (Rebio) do Maicuru, totalizando 12,8 milhões de hectares. Além disso, a região abriga 7,2 milhões de hectares de Terras Indígenas (TI), 1,3 milhão de hectares de UCs federais, 0,4 milhão de hectares de Terras Quilombolas (TQ) e outras duas UCs estaduais, que somam quase 60 mil hectares.

Trata-se do maior conjunto de Áreas Protegidas do planeta em um único estado, com cerca de 22 milhões de hectares – uma área equivalente aos Estados do Paraná e Alagoas reunidos. Em conjunto com as Áreas Protegidas do Amapá e do Amazonas, elas formam o maior corredor de biodiversidade do mundo. A Calha Norte também está inserida no centro de endemismo das Guianas, uma região prioritária ao planejamento e ações de conservação.

Recentemente, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Pará (Sema-PA), com parceria do Imazon na execução e contribuição de um consórcio de instituições, elaborou, aprovou e publicou os Planos de Manejo das três Flotas da Calha Norte: Paru, Faro e Trombetas. Esses planos preveem que o manejo dos recursos florestais na região ocorrerá por meio de concessão florestal. Do mesmo modo, foram concluídos e aprovados os Planos de Manejo da Esec Grão Pará e da Rebio Maicuru, em parceria com a Conservação Internacional e contribuição do Imazon. Essas ações tornam possível o desenvolvimento sustentável de toda a Calha Norte.

O objetivo deste encarte é resumir as informações sobre as Unidades de Conservação Estaduais da Calha Norte. O público alvo são quilombolas, extrativistas e pequenos produtores, governos municipais, órgãos estaduais e federais com atuação na Calha Norte e formadores de opinião.

Baixe aqui o arquivo

Confira AQUI a versão online da publicação.