Boletim Transparência Florestal Amazônia Legal (Fevereiro de 2011)

Boletim Transparência Florestal Amazônia Legal (Fevereiro de 2011)

amazonia_legal_maio_2008Hayashi, S., Souza Jr., C., Sales, M., & Veríssimo, A. (2011). Boletim Transparência Florestal Amazônia Legal (Fevereiro de 2011) (p. 15). Belém: Imazon.

Em fevereiro de 2011, o SAD detectou 63 quilômetros quadrados de desmatamento na Amazônia Legal. Isso representou uma redução de 28% em relação a fevereiro de 2010 quando o desmatamento somou 87 quilômetros quadrados.

O desmatamento acumulado no período de agosto de 2010 a fevereiro de 2011 foi semelhante ao desmatamento acumulado no período anterior (agosto 2009-fevereiro 2010), 925 quilômetros quadrados e 924 quilômetros quadrados, respectivamente.

Em fevereiro de 2011 os estados com maior área desmatada foram Rondônia com 56%, seguido do Pará com 30%. O restante do desmatamento ocorreu no Mato Grosso (11%) e Roraima (3%).

As florestas degradadas na Amazônia Legal somaram 113 quilômetros quadrados em fevereiro de 2011. Em comparação com fevereiro de 2010, quando a degradação somou 99 quilômetros quadrados, houve um aumento de 14%. A maioria (74%) da degradação florestal ocorreu em Rondônia seguido de longe por Mato Grosso (15%), Pará (7%) e Amazonas (4%).

A degradação florestal acumulada no período de agosto de 2010 a fevereiro de 2011 totalizou 3.836 quilômetros quadrados. Em relação ao período anterior (agosto de 2009 a fevereiro de 2010) houve aumento expressivo (304%) quando a degradação florestal somou 950 quilômetros quadrados.

Em fevereiro 2011, o desmatamento detectado pelo SAD comprometeram 4,7 milhões de toneladas de CO2 equivalente o que representa uma queda de 18% em relação a fevereiro de 2010. No acumulado do período (agosto 2010 – fevereiro 2011) o desmatamento comprometeu 56 milhões de toneladas de C02 equivalentes, ou seja, uma redução de 6,5% em relação ao período anterior (agosto de 2009 a fevereiro de 2010) quando o carbono florestal afetado pelo desmatamento foi cerca de 60 milhões de toneladas de C02 equivalente.

Foi possível monitorar com o SAD somente 12% da área florestal na Amazônia Legal em fevereiro de 2011. Os outros 88% estavam cobertos por nuvem o que dificultou o monitoramento na região principalmente no Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, e Pará, os quais tiveram mais de 90% da área florestal coberto por nuvens. Em virtude disso, os dados de desmatamento e degradação em fevereiro podem estar subestimados.

Baixe aqui o arquivo.

Visualize aqui a versão online.