Boletim Transparência Florestal Estado de Mato Grosso (Novembro e Dezembro de 2007).

Boletim Transparência Florestal Estado de Mato Grosso (Novembro e Dezembro de 2007).

matogrosso_novembro_dezembroSouza Jr., C., Veríssimo, A., Micol, L., & Guimarães, S. (2007). Boletim Transparência Florestal Estado de Mato Grosso (Novembro e Dezembro de 2007) (p. 6). Belém: Imazon.

Em novembro de 2007, o desmatamento detectado pelo Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) atingiu 571 quilômetros quadrados em Mato Grosso. Por sua vez, no mês de dezembro de 2007 (período de chuvas intensas) o desmatamento foi muito reduzido: apenas 1,6 quilômetros quadrados.

O desmatamento ocorrido em novembro de 2007 foi 49% maior se comparado ao mês anterior (outubro de 2007) e 34% maior quando comparado a novembro de 2006. Passando de 426 quilômetros quadrados em novembro de 2006 para 571 em novembro de 2007. Entre os dez municípios com as maiores taxas de desmatamento durante o mês de novembro, nove estão localizados na bacia do rio Xingu.

Em dezembro de 2007, o SAD registrou uma queda significativa tanto em relação ao mês anterior (novembro 2007) como em relação a dezembro de 2006. Porém, é importante lembrar que o desmatamento em dezembro é sempre muito baixo em termos absolutos.

O desmatamento no período de agosto a dezembro de 2007, correspondendo aos primeiros cinco meses do calendário atual de desmatamento, totalizou 1.703 quilômetros quadrados. Em relação ao desmatamento ocorrido no mesmo período do ano anterior (agosto a dezembro de 2006), quando o desmatamento somou 2.154 quilômetros quadrados, houve uma redução de 21%.

O desmatamento ilegal representou 88% do total em novembro e 74% em dezembro de 2007. Isso inclui o desmatamento nas propriedades não cadastradas no SIMLAM (Sistema Integrado de Monitoramento e Licenciamento Ambiental), na Reserva Legal das propriedades cadastradas no Simlam, nos Assentamento de Reforma Agrária (sem licenciamento ambiental) e nas Áreas Protegidas.

As proporções de áreas cobertas por nuvens em novembro e dezembro corresponderam respectivamente em 35% e 45% em Mato Grosso. Portanto, não foi possível detectar a ocorrência de desmatamento nessas áreas cobertas por nuvens.

Baixe aqui o arquivo