O Perfil da Extração de Palmito no Estuário Amazônico (n°3)

RESUMO Grande parte do palmito processado consumido no mundo é derivado da palmeira açaí (Euterpe oleracea Mart.), a qual cresce abudantemente nas florestas do estuário amazônico. A extração do palmito começou no estuário em 1970. Atualmente, centenas de fábricas de processamento de palmito e aproximadamente 50 firmas de distribuição estão instaladas na região. Os lucros

O Fogo na Floresta Explorada e o Potencial para a Redução de Incêndios Florestais na Amazônia (n°14)

RESUMO Aproximadamente 11.000 km² da Floresta Amazônica brasileira são explorados para a produção de madeira a cada ano. Embora a floresta primária na Amazônia Oriental seja geralmente imune ao fogo, as florestas exploradas são suscetíveis a incêndios. Utilizamos parcelas permanentes, medidas de umidade do material combustível na floresta e fotografias hemisféricas do dossel para estudar:

Espécies de Árvores Potencialmente Ameaçadas pela Atividade Madeireira na Amazônia Oriental (n° 11)

RESUMO Os impactos da exploração madeireira nos ecossistemas amazônicos têm recebido considerável atenção. No entanto, de forma geral, esses impactos nas espécies individuais não têm sido adequadamente estudados. A exploração afeta as espécies madeireiras pela: i. extração de indivíduos adultos, que são importantes fontes de sementes; ii. danos aos indivíduos jovens (mudas e varetas); iii.

Tendências Econômicas da Indústria Madeireira no Estado do Pará (n° 17)

INTRODUÇÃO Como uma das últimas fronteiras de ocupação terrestre, a Amazônia atraiu a atenção do mundo com a riqueza de sua diversidade biológica, grupos indígenas, recursos minerais e matéria-prima. Na última década, as atenções têm-se voltado não somente para a pecuária e conflitos de terra, mas também, de forma crescente, para as dinâmicas da exploração

Redução de Desperdício na Produção de Madeira na Amazônia (n° 5)

RESUMO Um primeiro passo para a conservação da floresta na Amazônia Oriental é melhorar a eficiência da produção florestal. Atualmente, a extração não planejada e o processamento ineficiente das toras conduzem à degradação da floresta e a significantes desperdícios de madeira. Se esses desperdícios fossem reduzidos, uma área menor de floresta seria requerida para satisfazer

Planejamento do Uso do Solo do Município de Paragominas Utilizando Dados Econômicos e Ecológicos (n° 9)

RESUMO Na Amazônia Oriental as principais atividades de uso do solo (atividade madeireira, pecuária e agricultura) são praticadas de forma extensiva. Neste estudo, analisamos essas atividades usando critérios econômicos, sociais e ecológicos para comparar o modelo extensivo de exploração com as formas mais intensivas de uso do solo. Em seguida, consideramos os custos e benefícios

APÓS DIGITAR O TEXTO, PRESSIONE ENTER PARA COMEÇAR A PESQUISAR